O que fazer, Quando tudo é complicado, difícil e até impossivel de fazer na sua empresa

Alguém ligou o “complicómetro”?

Se ligaram, é porque você deixou!

Num contexto cada vez mais competitivo, a focalização é uma preocupação constante. Não importa a dimensão da empresa ou a complexidade do negócio, é necessário apostar em recursos humanos de elevada qualidade, os chamados talentos, para que a produtividade seja cada vez maior.

O que nós observamos, é que está a instalar-se a epidemia do Complicado e do Impossível.

Assistimos a este fenómeno transversal, em equipas de maior ou menor dimensão, em colaboradores mais e menos diferenciados. Tudo é extremamente complicado, difícil de atingir e quase impossível de fazer. Os aumentos de vendas, a obtenção de mais clientes, a prospecção, as cobranças, entre outros. Além disso, o tempo continua a ser um excelente bode expiatório.

Mas como travar este fenómeno?

Na grande maioria das vezes, deve-se actuar como facilitadores de mudança intra e inter equipas. Noutros casos, deve-se criar alguns sistemas que permitem a criação de uma cultura mais audaz e competitiva dentro das empresas.

E quais as acções que se deve implementar?

1. Mind Set

Os tempos são de mudança e os colaboradores têm de aderir a estas mudanças. Preparar o mind set é fundamental, seja com uma preparação dos trabalhos, seja através de eventos de teambuilding. É fundamental abrir a mente da equipa.

2. Criação de Reuniões de Brainstorming

É uma prática comum a algumas empresas, mas com muito desperdício de tempo por não haver uma agenda definida ou uma acta de reunião. Deve existir alguém como facilitador, assim deste modo, existe alguém que, de algum modo, medeia a reunião, garantindo que a agenda é cumprida, havendo sempre uma acta final partilhada por todos.
De cada reunião é extraído um plano de acção e identificado quem tem de fazer o quê e quando.

3. Detalhar as metas a atingir

Parte da aversão à mudança tem a ver com a dificuldade que existe em detalhar cada objectivo. Quanto mais simplificado e detalhado for o plano de acção, maior será a adesão ao mesmo por parte da equipa.

4. Fortalecer a comunicação

Já falámos muitas vezes na importância da comunicação dentro das empresas. Mas nunca devemos esquecer a qualidade, mais que a quantidade, dessa mesma comunicação. Não é por fazer mais reuniões que a equipa vai estar mais motivada, é por fazer melhores reuniões, por partilhar sucessos e gerir problemas quando estes ocorrem.

5. Valores ou Cultura

É fundamental a existência de um conjunto de valores na empresa, valores estes que sejam entendidos e partilhados por todos. Um deles deve referir o compromisso com a melhoria contínua de serviços, para que nada seja impossível a ninguém.

Se a empresa já tiver um conjunto de valores, é importante garantir que estes fazem parte da cultura de cada colaborador. Que cada um os conhece e respeita.

6. Smiley Survey

Através de pequenos inquéritos de satisfação interna, cada colaborador pode avaliar qualquer colega em termos de capacidade de motivação, inter ajuda e espírito de equipa. Estes inquéritos, quando realizados periodicamente, são uma excelente ferramenta para medir o envolvimento de cada um na manutenção do espírito de equipa.

7. Proibido dizer “não consigo”

E que tal tentar?

Add Comment