A consistência é uma pedra no seu sapato ou é a alavanca do seu negócio?

Uma das grandes temáticas nos dias de hoje é a sustentabilidade. Uns vêem-na como a forma de subsistirem à conjuntura actual, outros encaram-na como um princípio pelo qual sempre se regeram.
A diferença surge na forma como as empresas operam internamente e direccionam a sua actividade para o Cliente. A visão da subsistência ocorre quando não existe uma consistência sistémica na abordagem a três vectores: Comercial, Operações e Tesouraria.

Transpondo estes conceitos para o sentido figurativo, se não respirar, de forma consistente, como fica a sua saúde? O mesmo se passa com a área comercial, o pulmão do seu negócio. Se não tiver a máquina a gerar oxigénio (contactos), a sua saúde (negócio) irá sentir rapidamente o impacto.
Quando caminha, o seu cérebro transmite ordens aos órgãos motores para se mexerem de forma alternada e contínua. Na sua actividade, vários processos devem ocorrer de forma consistente, enquanto caminha em direcção a um dado objectivo. Quando articula estes diferentes processos, tem um sistema operacional, ou seja, uma forma de atingir o que se propõe alcançar.
Pense agora no seu coração, que bombeia consistentemente sangue pelas suas veias e artérias. Quando o sangue não chega a um local, o prognóstico médico, como concordarão, não poderá ser o melhor. O mesmo ocorre com a tesouraria do seu negócio.

Se tem problemas com o cashflow do seu negócio, deixe-me partilhar consigo uma máxima: defina prioridades!
Como primeiro passo, ordene de forma cronológica tudo o que tem a pagar e a receber.
Em segundo lugar, dê prioridade às suas contas em função da sua implicação operacional.
Por último, negoceie prazos.
O seu objectivo em termos de tesouraria é conquistar tempo, dando margem de manobra à sua área comercial para trazer negócio e às cobranças para injectarem capital.

A grande verdade sobre a tesouraria é que antes de se preocupar onde vai aplicar as suas entradas, tem de controlar os timings das suas saídas, de forma a reter o capital o maior tempo possível no seu negócio. Mas sobre esta temática partilharei mais consigo, caro leitor, em futuros artigos.

Voltando à temática de hoje, medir os resultados de cada um destes vectores – Comercial, Operações e Tesouraria – é sem dúvida uma questão de sobrevivência. Medir de forma consistente é alavancar o seu negócio em direcção à sustentabilidade.

Mas antes de medir, garanta que toda a informação está disponível em tempo útil, para que possa tomar melhores decisões, evitando assim uma pedra no seu sapato.
Assim, quando estiver a planear a semana seguinte, verifique se tem consigo:

– Resultados da última semana – comerciais e financeiros
– Orçamento actualizado
– Carteira de encomendas
– Antiguidade de Saldos – clientes e fornecedores
– Relatório de projectos/estratégias em curso
– Mapa de Carga dos seus recursos

Se esta informação não lhe chega de forma consistente, considera que as acções e decisões que tem vindo a tomar estão a direccioná-lo para os objectivos que se propôs atingir?

Add Comment